sábado, 31 de janeiro de 2009

Para ser feliz


A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz.

Sigmund Freud

Felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente.

Érico Veríssimo

Por detrás da Alegria e do Riso, pode haver uma natureza vulgar, dura e insensível. Mas, por detrás do Sofrimento, há sempre Sofrimento. Ao contrário do Prazer , a Dor não tem máscara.

Oscar Wilde



Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade.

Mário Quintana

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Palavras de amor


Palavras são perdidas, promessas são esquecidas, papéis e cartas apodrecem, mas o verdadeiro amor é o que permanece... (Jonathas Hardy)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Amizade = Felicidade 7

DA DISCRIÇÃO

Não te abras com teu amigo
Que ele um outro amigo tem.
E o amigo do teu amigo
Possui amigos também...

Mário Quintana

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Amizade e felicidade 5

A verdadeira amizade é aquela que nos permite falar ao amigo de todos os seus defeitos e de todas as nossas qualidades. (Millôr Fernandes)

Jayme Caetano Brum: Amargo


Velha infusão gauchesca
De topete levantado
O porongo requeimado
Que te serve de vazilha
Tem o feitio da coxilha
Por onde o guasca domina,
E esse gosto de resina
Que não é amargo nem doce
É o beijo que desgarrou-se
Dos lábios de alguma china!

A velha bomba prateada
Que atrás do cerro desponta
Como uma lança de ponta
Encravada no repecho
Assim jogada ao desleixo
Até parece que espera
O retorno de algum cuera
Esparramado do bando
Que decerto anda peleando
Nalgum rincão de tapera!

Velho mate-chimarrão
As vezes quando te chupo
Eu sinto que me engarupo
Bem sobre a anca da história,
E repassando a memória
Vejo tropilhas de um pelo
Selvagens em atropelo
Entreverados na orgia
Dos passes de bruxaria
Quando o feiticeiro inculto
Rezava o primeiro culto
Da pampeana liturgia!

Nessa lagoa parada
Cheia de paus e de espuma
Vão cruzando uma, por uma,
Antepassadas visões
Fandangos e marcações
Entreveros e bochinchos
Clarinadas e relinchos
Por descampados e grotas,
E quando tu te alvorotas
No teu ronco anunciador
Escuto ao longe o rumor
De uma cordeona floreando
E o vento norte assobiando
Nos flecos do tirador!

Sangue verde do meu pago
Quando o teu gosto me invade
Eu sinto necessidade
De ver céu e campo aberto
É algum mistério por certo
Que arrebentando maneias
Te faz corcovear nas veias
Como se o sangue encarnado
Verde tivesse voltado
Do curador das peleias!

Gaudéria essência charrua
Do Rio Grande primitivo
Chupo mais um, pra o estrivo
E campo a fora me largo,
Levando o teu gosto amargo
Gravado em todo o meu ser,
E um dia quando morrer,
Deus me conceda esta graça
De expirar entre a fumaça
Do meu chimarrão querido
Porque então irei ungido
Com água benta da raça!!!

O poeta Jayme Caetano Braun nasceu em Bossoroca, perto de São Luiz Gonzaga, no dia 30 de janeiro de 1924. Filho de João Aloísio Braun e Euclides Caetano, casou-se em primeiras núpcias, em 1947, com Nilda Jardim, com quem teve dois filhos, Marco Antônio e José Raimundo. Em segundas núpcias, em 1988, casou-se com Aurora de Souza Ramos, com quem teve mais um filho, Cristiano.

Em sua cidade natal, foi radialista. Tornou-se funcionário do Instituto de Seguridade Social do Estado do Rio Grande do Sul (Ipasa) e diretor da Biblioteca Pública do Estado de 1959 a 1963.

Poeta regionalista gaúcho, Braun publicou livros de poesia e um dicionário de regionalismos, Vocabulário Pampeano - Pátria, Fogões e Legendas. Também gravou discos e CDs, nos quais declamava seus poemas, acompanhado por Lúcio Yanel, Glênio Fagundes e Noel Guarany. Como letrista de músicas regionalistas, que podem ser consideradas verdadeiros poemas por sua elaboração estética e temática regionalista, foi premiado em muitos festivais. Em alguns, atuou também como apresentador.

Recebeu homenagem e destaque especial do festival Sesmaria da Canção, de Osório, em 1997. Entre seus prêmios, estão o Troféu Laçador de Ouro e o Troféu Simões Lopes Neto (maior honraria concedida pelo governo do Estado), ambos em 1997. Emprestou seu nome a Centros de Tradições Gaúchas (CTGs) de diversas localidades. Algumas de suas canções foram gravadas por cantores e conjuntos de outros Estados, como Originais do Samba.

O talento de Jayme Caetano Braun como poeta e letrista foi reconhecido no Uruguai, na Argentina, no Paraguai e na Bolívia. Excelente repentista, conhecido como El Payador, ocupa por isso um lugar de destaque na literatura regionalista do Rio Grande do Sul.

Tem, na sua poesia, a expressão estilizada da autenticidade e espotaneidade da fala do homem rural, da zona da Campanha. Sobre sua obra, afirmou Walter Spalding: "A poesia desse poeta missioneiro é um dos maiores e melhores repositórios de palavras e expressões gauchescas, valendo por isso seus livros um tesouro. Grande parte das que usa e que são de uso comum nas Missões e outras partes do Rio Grande jamais foram dicionarizadas". Seus poemas são, em geral, longos e épicos, para ser declamados de viva voz.

O costume campeiro de contar casos também está presente em seus "rimances", poemas narrativos, como Bochincho, extremamente popularizado, um dos textos mais declamados nas festas gauchescas. Seu vocabulário regional representa rico acervo para estudo dos dialetos rurais gaúchos.

Artesão de belas imagens, também compôs poemas líricos-amorosos, e sua temática ia desde a expressão de um forte telurismo quase místico pelo pago,a objetos de seu universo - o galpão, o lenço, a faca, o cavalo, as chilenas -, as apologias sobre a história do Estado e o realismo social, em poemas nos quais os anti-heróis são desvalidos da sorte e oprimidos pelo sistema capitalismo. Suas composições têm um percurso nítido: vão dos poemas longos grandiloqüentes, feitos para declamação, aos poemas curtos e densos de suas últimas obras, nos quais a elaboração poética é maior e mais cuidadosa, acompanhando os modelos da modernidade.

Jayme Caetano Braun expressou um desejo no poema Índio Vago: "Um dia, quando eu morrer / Esse é o fim de cada qual / Hão de estar meu pingo velho / Com seu relincho cordial / E o meu cusquinho brasino / Chorando meu funeral". Certamente, junto do pingo velho e do cusquinho brasino, estamos todos nós a chorar a perda de um tão grande inventor de novos modos de olhar o universo gauchesco, forte marca de nossa identidade regional.

Como a palavra bem articulada e com ares de dança sapateia pela alma dos sensíveis não morre, artistas que sonorizam os seus textos e dão pés de bailarinos aos vocábulos viverão para sempre. Assim, Jayme renasce em cada um de seus admiradores.

Se depender de mim, VIDA LONGA para ti, ETERNO CAETANO BRAUN!

domingo, 25 de janeiro de 2009

Obama e o Brasil



Ainda é cedo para fazer vaticínios sobre como irá atuar o atual ocupante da Casa Branca quando Bush Júnior já estiver acomodado em seu rancho. Vitorioso, Barack Hussein Obama é "o" personagem deste século" e é muito cedo para prognosticar se a sua atuação será favorável ao Brasil, dizer o que ele fará é querer dar uma de "Maga Pastológica"...
Nele existem as características conhecidas: cristão negro, nome de muçulmano, filho de africano, colegial em país islâmico, o jovem que foi capaz de afundar o destróier Hillary Clinton na batalha naval das primárias democratas e, agora ungido prtesidente, como agirá? O que não se sabe: muita coisa existe sobre o que pretende fazer. Não se pode esquecer dos altos financiamentos que alavancaram a sua campanha eleitoral e com asas amarradas não pode alçar altos voos...

Até aqui, Obama repete uma balela de unificação política dos EUA. Como está em evidência, talvez agora seja possível saber o que ele realmente pensa sobre os problemas globais -embora exista uma tendência clara de interiorização do debate, absolutamente natural.

Para nós, a dúvida é temperada com algum temor. Com sorte, a maioria dos políticos americanos acha que "Brazil" não passa de uma cidadezinha perdida em Indiana. No entanto, a palavra etanol, movida pelo poderoso lobby dos produtores de álcool de milho americanos, traz associações menos ligeiras.

Democratas são mais protecionistas do que republicanos, diz o ditado. Meia verdade, já que na hora do "vamos ver", ambos os lados defendem os seus de forma feroz. Nas únicas vezes em que falou objetivamente sobre Brasil, Obama apoiou os plantadores de milho do seu Illinois no contexto da competição com a nossa cana e criticou o acordo no setor entre Bush e Lula.
Isso o torna um adversário?

Desde a Doutrina Monroe, e lá se vão quase 200 anos, qualquer presidente americano pode ser rotulado como inimigo potencial da bugrada. O antiamericanismo não campeia com tanta desenvoltura aqui por obra do acaso, embora geralmente seja apenas estúpido. Mas a verdade é que Obama é uma incógnita, e não só para seus eleitores.(In Folha Online)

Como creio em brujas e não me esqueci das promessas, da esperança depositada num operário brasileiro e da profunda desilusão que ele vem despertado em mim e em outros milhares de eleitores...

sábado, 24 de janeiro de 2009

Maysa Monjardim, a cantora


Biografia

Maysa nasceu na capital paulista numa família tradicional do Espírito Santo que logo se mudou para o Rio de Janeiro. Em 1947, transferiram-se para Bauru, no interior paulista. Logo depois, mudaram-se novamente para a capital. Mesmo fixada em São Paulo, a família ainda mudaria de endereço várias vezes.

Maysa estudou nos tradicionais colégios paulistanos Assunção,Sacré Coeur de Marie. As férias, ela passava em Vitória, onde reencontrava os tios e os primos.

Casou-se aos dezoito anos com o empresário André Matarazzo, dezessete anos mais velho, amigo de seus pais, e membro da conhecida família italo-brasileira Matarazzo de cuja união nasceu Jayme Monjardim Matarazzo, diretor detelenovelas e cinema, que foi criado pela avó e, posteriormente, num colégio interno na Espanha.

Separada do marido (1959), que se opôs à carreira musical, e com o temperamento boêmio herdado de seu pai, teve relacionamentos amorosos com o compositor Ronaldo Bôscoli, o empresário Moguel Azanza, o ator Carlos Alberto, o maestro Julio Medaglia, dentre vários outros.

Fez inúmeras temporadas de sucesso em diversas casas de São Paulo — como o João Sebastião Bar — e no Rio de Janeiro — como o Au Bon Gourmet dentre outras casas tradicionais e famosas. Excursionou pela América Latina, passando diversas vezes por Buenos Aires, Montevidéu e Lima. Apresentou-se em Paris, Lisboa e Luanda. A lua-de-mel com André Matarazzo consistiu numa viagem por toda a Europa, passando primeiro por Buenos Aires (na Argentina).

O uso de álcool e moderadores de apetite deixavam seu temperamento instável. Foram conhecidos os escândalos que promoveu em hotéis e aviões de diversos países. Tentou o suicídio várias vezes. Supõe-se que o efeito de anfetaminas somado à ingestão de álcool, teria provocado o acidente de carro, na Ponte Rio-Niterói, que a matou, quando dirigia a "Brasilia azul" em alta velocidade, indo para a casa de praia em Maricá, litoral fluminense.

Carreira

Manteve contato com vários músicos da Bossa Nova, com os quais pôde expandir referências musicais. Excursionou pelo país ao lado do pianista Pedrinho Mattar, lotando casas de espetáculos como a Urso Branco , São Paulo.

Estilo

As composições e as canções foram escolhidas de maneira a formar um repertório sob medida para o seu timbre, que não era o de uma voz vulgar -- pelo contrário, possuía um viés melancólico e triste, que se tornou emblemática do gênero fossa ou samba-canção. Ao lado de Maysa, destacam-se Nora Ney, Ângela Maria e Dolores Duran. O gênero, comparado ao bolero, pela exaltação do tema amor-romântico ou pelo sofrimento de um amor não realizado, foi chamado também de dor-de-cotovelo. O samba canção (surgido na década de 30) antecedeu o movimento da bossa nova (surgido ao final da década de 50, em 1957), com o qual Maysa se identificou. Mas este último representou um refinamento e uma maior leveza nas melodias e interpretações em detrimento do drama e das melodias ressentidas, da dor-de-cotovelo. O legado de Maysa, ainda que aponte para dívidas históricas com a bossa, é o de uma cantora de voz mais arrastada do que as intérpretes da bossa e por isso aproxima-se antes do bolero.

Foram celebrizadas as seguintes interpretações: Felicidade Infeliz (Maysa), Solidão (Antônio Bruno), Bom dia, Tristeza (Adoniran Barbosa/ Vinicius de Moraes), Tristeza (Haroldo Lobo/ Niltinho), Ne Me Quitte Pas (Jacques Brel) e Bloco da Solidão (Jair Amorim/ Evaldo Gouveia). Também foram consagradas as seguintes interpretações: Adeus, Agonia, Dindi, Eu sei que vou te amar, Marcada, Meu mundo caiu, Não vou querer, Ouça, Resposta, Rindo de mim, Tarde triste, O barquinho.

Contemporânea da compositora e cantora Dolores Duran, Maysa compôs 26 canções, numa época em que havia poucas mulheres nessa atividade. Todas foram gravadas em Maysa por ela mesma, que alcançou grande sucesso. Maysa interpretava de maneira muito singular, personalista, com toda a voz, sentimento e expressão. Um canto gutural, ensejando momentos de solidão e de grande expressão afetiva. Um dos momentos antológicos desta caracterização dramática foi a apresentação, em 1974, de Chão de Estrelas (Silvio Caldas e Orestes Barbosa), e de Ne Me Quitte Pas (10 de junho de 1976), tendo sido apresentadas em duas edições do programa Fantástico da Rede Globo. Esse estilo Maysa. exerceu influência nas gerações seguintes, com grande ascendência nas obras deSimone, Cazuza, Leila cPinheiro, Fafá de Belém, ângela rô Rô, entre outros.

Em 1977, um trágico acidente automobilístico na Ponte Rio-Niterói encerrava a carreira e o brilho da estrela, que foi um dos grandes nomes da música brasileira.

A carreira da cantora foi retratada na minissérie Maysa - Quando Fala o Coração, exibida pela Rede Globo em 9 capítulos, do dia 05 ao dia 16 de janeiro de 2009. A série é de autoria de Manoel Carlos, protagonizada pela estreante atriz Larissa Maciel e dirigida por Jayme Monjardim, filho da cantora.

Discografia

  • Convite para ouvir Maysa (1956) RGE 10 polg
  • Maysa (1957) RGE LP
  • Convite para ouvir Maysa nº 2 (1958) RGE LP
  • Convite para ouvir Maysa nº 3 (1958) RGE LP
  • Convite para ouvir Maysa nº 4 (1959) RGE LP
  • Maysa é Maysa... é Maysa... é Maysa (1959) LP
  • Maysa canta sucessos (1960) LP
  • Voltei (1960) LP
  • Barquinho (1961) Columbia LP
  • Maysa, amor... e Maysa (1961) LP
  • Canção do amor mais triste (1962) LP
  • Maysa (1964) LP
  • Maysa (1966) LP
  • Maysa (1969), LP, Som Indústria e Comércio S.A.
  • Maysa "Eu não existo sem você" ( 1969) LP, Produções Fermata.
  • Canecão apresenta Maysa (1969), LP, Som Indústria e Comércio S.A.
  • A personalidade de Maysa (1969), LP, Produções Fermata.
  • Ando só numa multidão de amores (1970) Philips LP
  • Maysa (1974) Evento LP
  • Para sempre Maysa (1977) RGE LP Álbum duplo
  • Maysa "Bom é Querer Bem" (1978), LP, RGE-Fermata Ltda.
  • Convite para ouvir Maysa [S/D] LP
  • Maysa por ela mesma (1991) RGE CD
  • Canecão apresenta Maysa (1992) Movieplay CD
  • Tom Jobim por Maysa (1997) RGE CD
  • Barquinho (2000) Sony Music/Columbia CD
  • Simplesmente Maysa-Vol. 1 a 4 (2000) CD

Curiosidade

Num dos programas Show do dia 7, da TV Record, canal 7 de São Paulo, nos anos 1960, os artistas tinham que cumprir tarefas. A Maysa coube destrinchar um frango. Sonia Ribeiro, a apresentadora, ofereceu-lhe uma tesoura de cortar frango (trinchante). Para surpresa de todos, Maysa pegou o frango com as mãos e o cortou todo nas juntas ignorando a apresentadora e gerando mais uma situação inusitada.

(Fonte:Wikipedia)

Amizade = felicidade 3


Não ande diante de mim - talvez não lhe siga. Não ande detrás de meu, talvez não lhe saiba dirigir. Simplesmente ande a meu lado, e seja meu amigo. (*Camus)

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

MÃes

Na voz de Fernanda Montenegro, faço um carinho muito especial às minhas amigas com o texto "Mães".

A posse de Barack Obama


Quem assistiu à posse de Barack Obama deve ter percebido a elegância do casal americano. Como gosto de roupas elegantes e clássicas, adorei a veste de Michelle Obama.(O amarelo do traje e o verde das luvas e dos sapatas remontam ao Brasil, oba!). O presidente estava impecável! A cor amarela escolhida pela primeira-dama, dizem os entendidos, foi para passar otimismo, luminosidade (amarelo lembra a cor do sol, do ouro,...) num momento tão obscuro e grave como os EUA e o mundo estão passando na economia.

Observe as opiniões de alguns especialistas que circulam pela São Paulo Fashion Week.
Vamos às obervações???

O estilista Pedro Lourenço comentou o conjunto de vestido tubinho e casaco de brocard dourado que Michelle usou na posse presidencial e classificou como “bonitinho”.

Mas não tem jeito. A primeira-dama mais bem vestida atualmente é a Carla Bruni. Ninguém vai superá-la.

Aiiii, devo concordar com ele...

Costanza Pascolato não comparou Michelle com Carla, mas, sim, com o marido:

Se for para falar do estilo do casal Obama, o presidente é quem rouba a cena. Ele é um homem de uma elegância clássica e natural.
Concordo também!!




O que eu achei do modelito??
(Cláudia Ioschpe)

Eu optaria por algo mais discreto, ou quem sabe uma cor mais discreta...
Percebi que, ao descer as escadas, dava pra ver o forro do casaco da primeira-dama, e preciso admitir que sou chata com esses detalhes: não gostei de ver o forro ali...
Mas não dá pra negar que o traje é elegante e que o vestido combina com o casaco.
Gostei das luvas, que não são no mesmo tom da roupa, e também gostei dos sapatos (Jimmy Choo)

O conjunto da obra, porém, é unânime: Michelle poderia ter usado um modelito mais moderno, sim.

Liiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinda!!!!!!!!

Quem participou da cerimônia de posse???

Várias celebridades!!!

Preciso dizer que amei o chapéu do Jay Z e, siiiiim, Beyoncé estava liiiinda, discreta, de pretinho e maravilhosa.
Enquanto os atores Samuel L. Jackson e Dustin Hoffman batem um papo,
Don King e Diddy chamam atenção, já Denzel Washington dá um abraço apertado em Obama.



Oprah Winfrey Show: a apresentadora também marcou presença, achei ela chique demais!!!

Da turma da política???

Arnold Schwarzenegger, o casal Hillary e Bill Clinton.
As filhas de Bush marcaram presença!
Jenna Bush Hager e Barbara Bush fizeram bonito!!
Além deles, Colin Powell, Al Gore, Jimmy Carter e John McCain, que concorreu com Obama.



E reparou na imagem de Barack Obama com o vice-presidente, Joe Biden, e suas mulheres, Michelle Obama e Jill Biden??
Pois é, gostei do visual da Biden!
Não tão clássico, mas beeeeeem mais moderninho que a escolha de Michelle. (Gosto não se discute: prefiro a roupa de Michelle à modernidade de Jill, apesar de ter adorado o vermelho e o talhe do casaco usado por ela!)

Imagens: Charles Dharapak, Chuck Kennedy, Jae C. Hong, Jeff Christensen, Ron Edmonds, AP. Tannen Maury, John Moore, Saul Loeb, EFE

Mas o momento mais esperado ainda está por vir...
Já borbulham celebrities na lista prá lá de badalada de convidados que já confirmaram presença para o Be the Change Inaugural Ball.

O evento???

Foi mais esperado que a própria posse.

Quem estava lá???

Tom Cruise, Halle Berry, Ben Affleck, Meryl Streep e Bono Vox.

Luxo é pouco!!!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Rir ainda é um bom remédio

Às vezes, estamos meio entristecidos ou querendo chutar o balde da vida, ao ouvirmos algo engraçado, acontece em nós um doce milagre, como se a lâmpada da esperança reacendesse a nossa vida. Pensando no benefício que o ato de rir proporciana às pessoas, reproduzo piadas que achei "simpáticas"...

Piada de políticos (aquele....)

Lula queria um selo com sua foto para marcar o seu primeiro semestre de governo. Ele exigiu um selo de altíssima qualidade.

Os selos sao criados, impressos e vendidos. Lula fica radiante! Mas em poucos dias ele fica furioso ao ouvir reclamações de que o selo não adere aos envelopes.

O presidente convoca os responsáveis e ordena que investiguem o assunto. Eles pesquisam as agências dos Correios de todo o país e relatam o problema a Lula. O relatório diz: 'Não há nada de errado com a qualidade dos selos. O problema é que o povo está cuspindo do lado errado..."

Seguem piadas curtas, piadas boas e bem rapidinhas:

Na aula de Ciências, o professor vira-se para aquela loirinha que já chamava a atenção e pergunta:
- Quantas patas tem o cavalo?
- Quatro, professor!
- Por isso, nós chamamos ele de…
- Quadrúpede!
- Muito bem! E você, tem quantos pés?
- Dois, professor!
- Por isso, nós chamamos você de…
- Cristina!
———————————-xxx——————————————–

No 1º dia de aula, a professora pergunta aos alunos:
- Joãozinho, qual é a profissão da sua mãe?
- Empregada de escritório, professora.
- E sua mãe, Chiquinho, o que ela faz?
- A minha mãe? A minha mãe é substituta.
- Desculpa, não entendi, Chiquinho!
- Substituta! - repete Chiquinho.
- Essa profissão não existe, Chiquinho. Por favor, explica o que sua mãe
faz!
- Bem, ela fica numa esquina, aí vêm uns senhores que lhe dão dinheiro, ela
entra com eles para um quarto do hotel e, passados uns quinze minutos, os
senhores saem apertando o cinto da calça…
- Mas Chiquinho, diz a professora espantada, a sua mãe não é “Substituta”,
é “Prostituta”!
- Não, não! Puta é a minha tia que está doente. A minha mãe está só cuidando do ponto dela…

Voltarei...

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Quem é a mulher do presidente?

Muito se tem escrito sobre Barack Obama, mas quem é a sua mulher, Michelle?

Michelle Obama nasceu em 17 de janeiro de 1964, em Chicago, nos Estados Unidos. Após o ensino médio, foi para a Universidade de Princeton, onde, em 1985, formou-se em Sociologia. Depois da faculdade, ela continuou seus estudos na Escola de Direito da Universidade de Harvard, onde ficou até 1988.

Formada em Direito, Michelle começou a trabalhar na área de marketing e propriedade intelectual de um escritório de advocacia de Chicago, onde conheceu Barack Obama. Em 1991, ela deixou a empresa para iniciar uma carreira no serviço público como assessora do prefeito da sua cidade natal.

Em 1996, ela começou seu envolvimento com a Universidade de Chicago, onde desenvolveu o primeiro programa de serviço voltado à comunidade da instituição e também gerenciou um programa de diversidade empresarial. Michelle e as duas filhas que teve com Obama, Malia, 9 anos, e Sasha, 7 anos, moram no sul de Chicago.

Em tempo: Vocês se deram conta que Marisa Letícia, a primeira dama brasileira, é a única mulher de presidentes a não fazer absolutamente nada em prol de seu país? Será que, pelo menos, é boa cozinheira?

Pensem nisso....

Fonte: www.barackobama.com

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Posse de Obama











É nesse cenário magnífico que Obama tomará posse, hoje, como presidente da nação mais poderosa do planeta.

Funcionários federais e distritais estão se preparando para receber 4 milhões de pessoas no National Mall, em Washington, para a posse do presidente eleito, Barack Obama, no dia 20 de janeiro, segundo informação publicada nesta terça-feira, pelo jornal "The Washington Post".

Até hoje, o maior evento realizado no local reuniu 1 milhão de pessoas. Apenas uma pequena parcela deste público vai estar perto o suficiente para assistir à cerimônia, mas organizadores estão planejando colocar grandes telões ao longo da Avenida Pensilvânia, onde acontecerá o desfile, para que o público possa fazer parte do dia histórico.

National Mall poderá receber cerca de 4 milhões de pessoas para posse de Obama.

Todos os projetos estão sujeitos à aprovação da equipe de Obama responsável pela cerimônia da posse, que vai determinar o tamanho e os detalhes do evento. O Serviço de Segurança, por sua vez, é o responsável pela segurança e logística.

Mesmo em uma cidade acostumada a receber manifestações, protestos, marchas e funerais, a posse de Obama será um evento sem precedentes no que diz respeito a planejamento. Assim, a pergunta que surge é: A cidade tem condição de receber o evento e abrigar essa multidão?
Ou poderão acontecer os mesmos transtornos registrados em 1976?

Naquele ano, milhões de pessoas eram esperadas no National Mall para celebrar o bicentenário da declaração da Independência Americana. A organização pediu para os visitantes usarem o transporte público e prometeram um serviço especial. No entanto, o que aconteceu foi um enorme engarrafamento com ônibus e carros parados por horas.


No entanto, neste ano, os organizadores garantiram que será diferente e expressaram confiança de que não haverá transtornos durante o evento. Mesmo assim, agentes federais e distritais já esperam novidades. A organização, por exemplo, prevê que pessoas cheguem para acampar no dia 19 de janeiro, para ficar o mais perto possível da rota onde acontecerá a parada.

Planejamento

O prefeito Mayor Adrian M. Fenty afirmou que eventos anteriores foram usados como base para o planejamento da posse do dia 20 de janeiro. "No entanto, vamos fazer exceções, já que, segundo projeções, a multidão pode ser até quatro vezes maior do que o recorde registrado", afirmou.

A organização está discutindo a abertura da parte leste do Monumento a Washington, o obelisco localizado no centro do National Mall. O local geralmente é usado para acomodar participantes dos desfiles. Assim, segundo especialistas, o National Mall poderia abrigar milhões de pessoas a mais do que em eventos passados.

As proporções do evento estão sendo preparadas para encaixar a um estilo já demonstrado por Barack Obama, que gosta de reunir multidões. Em agosto passado, em Denver, ele aceitou a indicação do Partido Democrata para ser candidato à Presidência com um discurso feito a 84 mil pessoas. Na noite da eleição, Obama reuniu 200 mil em um parque no centro de Chicago.

"O direcionamento que recebemos deles [equipe de Obama], ainda informal, é de que eles querem abrir o evento para o maior número de pessoas possível", afirmou Fenty. A posse de Lyndon Johnson foi a que reuniu o maior número de pessoas no National Mall - 1,2 milhão. Naquela época, 1965, o juramento era feito em uma parte mais reservada à leste do Capitólio.

(Fonte: Folha Online)

Sonho, profecia ou realidade?

Barack Obama, o primeiro candidato negro eleito para dirigir a mais poderosa nação do mundo, será empossado sob um frio que vacilará entre 0° a 6º, ao lado de seu vice-presidente, Joe Biden.

Quem é Obama, esse jovem que carrega o difícil fardo de salvar a economia americana?

Eleito, pela primeira vez, para o Senado em 2004 tem mandato até 2010.

Nasceu no dia 4 de agosto de 1961 em Honolulu. Reside actualmente em Chicago, Illinois.

Barack Obama foi considerado uma celebridade política nacional ainda antes de ter sido eleito para o Senado. O seu passado não é muito comum, sendo muito diferente da maioria dos políticos negros. O seu pai era oriundo do Kenya, a sua mãe do Kansas; conheceram-se no Hawaii onde, em 1961, nasceu Barack Obama. Aos dois anos de idade, o pai de Obama deixou-o para ir para Harvard e depois regressou ao Kenya onde era um político importante. Acabou por falecer um acidente de automóvel em 1982.

Barack Obama apenas se lembra de o ter visto uma vez quando tinha 10 anos. A sua mãe casou com um Indonésio e a sua família mudou-se para lá, frequentou escolas muçulmanas e cristãs durante dois anos e, depois, regressou ao Hawaii para viver com os avós maternos. Mais tarde, prosseguiu os estudos, primeiro no Occidental College de Los Angeles e, depois, na Columbia University em Nova Iorque. Mais tarde, frequentou a Harvard Law School, onde obteve uma elevada distinção honorifica, magna cum laude, que corresponde a uma graduação não menor do que dezoito valores. Conheceu a sua esposa Michelle Robinson enquanto trabalhava na firma de advogados Sidley & Austin. Após a sua experiência em Harvard, onde chegou a ser o primeiro afro-americano eleito para a presidência da Harvard Law Review, mudou-se para Chicago, a cidade natal de Michelle onde, em 1993, começou a dar aulas na escola de direito da Universidade de Chicago.

A política sempre esteve no seu horizonte. Em 1992, trabalhou no recenseamento eleitoral para o Partido Democrata. Em 1996, concorreu ao Senado Estadual, onde não enfrentou oposição no seio dos Democratas. Em 2000, sofreu o seu primeiro revés. Ao concorrer na primária democrata contra Bobby Rush, Obama foi acusado de faltar à votação sobre o controle de armas, por estar no Hawaii a visitar a família, sendo que uma das suas filhas também se encontrava doente. Rush recebeu o apoio de Bill Clinton e Obama perdeu por 61% - 30%. A partir daí, Obama foi determinante para uma série de legislação no Senado Estadual, como a regulação de cuidados de saúde e nas questões de ética. Ainda em 2003, foi o impulsionador do sucesso de uma proposta de lei no sentido de permitir a gravação electrônica de interrogatórios e confissões nos casos de homicídio.

Em 2004, Obama não estava favorecido na corrida ao Senado dos EUA, mas conseguiu reunir alguns apoios, como os do Congressista Jesse Jackson Jr e os do antigo candidato presidencial (1984 e 1980 ) Jesse Jackson Sr. As suas posições nos vários temas não o distinguiam do resto dos candidatos democratas: era pró-aborto; defendia a regulação nas vendas de armas. Era a favor das uniões de fato, mas contra o casamento homossexual, apoiou apenas os cortes de impostos de Bush que se destinavam à classe média e era simpático a um aumento dos impostos nos estratos mais ricos da sociedade.

Os seus concorrentes apareciam em melhor posição para conseguir o lugar no Senado, mas depressa mudou. Blair Hull viu-se envolvido num escandâlo de maus-tratos à sua ex-mulher. Dan Hynes não conseguiu capitalizar os muitos apoios que tinha, face à ascensão que Barack Obama. Esta ascensão deveu-se, sobretudo, à sua firme posição contra a guerra no Iraque e às suas críticas a algumas das políticas da administração Bush. Os apoios populares de celebridades como Michael Jordan e o endorsement que o Chicago Tribune contribuíram também, em grande medida, para a sua vitória nas primárias democratas.

O vencedor das primárias republicanas foi Jack Ryan. Parecia um candidato à medida do brilhantismo que Barack ostentava. Para sorte deste, Ryan, tal como Blair Hull, tinha problemas com a sua ex-mulher. A Direção do Partido Republicano, não contente com a vulnerabilidade do seu candidato, pressionou-o a sair da corrida. Dessa forma, o partido republicano encontrava-se sem candidato.

Entretanto, Obama faz um discurso brilhante na Convenção Nacional Democrata de 2004, onde afirma: “There’s not a liberal America and a conservative America, there is the United States of America. There’s not a black America and white America and latino America and asian America, there is the United States of America”. Após o seu brilhante discurso, vários analistas já o consideravam como um personagem prestes a brilhar no cenário político norte-americano, possivelmente um futuro presidente.

No seio dos republicanos, surgiu o nome de Alan Keyes para defrontar Obama na eleição para o Senado. Alan Keyes baseou a sua campanha nas temáticas do aborto e do casamento homossexual. Esse candidato não recebeu grandes apoios do establishment republicano no Illinois e acabou por favorecer a vitória de Barack Obama por 70% a 27%.

Embora fosse considerado como um dos mais proeminentes políticos da nova geração, poucos esperavam que agora o Senador do Illinois, nascido no Hawaii, com ascendência queniana e, que viveu em Jacarta, se encontrasse numa posição tão favorecida na corrida Democrata, especialmente contra uma candidata tão forte como o é Hillary Clinton.
Cativou os eleitores americanos, foi eleito e, amanhã, será empossado, protegido por um aparato de segurança nunca visto antes.

Segundo Rodrigo Lopes,"a assunção do homem mais poderoso do planeta requer um sistema de segurança rigoroso e diferenciado", visto ser ele o primeiro homem negro a assumir a presidência dos EUA. Se isso já não fosse motivo suficiente para tamanho aparato, as idéias liberais que pontuaram seus discursos de campanha fazem pressupor um mandatário que vai mexer com muito da sujeira que os americanos vêm jogando para "debaixo do tapete".

No momento em que os sonhos de outro negro, o pastor Martin Luther King Jr. , em discurso inflamado nas escadarias do Memorial Lincoln, em Washington, em vinte e um de agosto de 1963, revelou: "Eu tenho um sonho... que meus quatro filhos viverão, um dia, em um país onde não serão julgados pela cor de sua pele e, sim, por seu caráter."

Que não seja só um sonho e uma profecia, mas que Obama transforme-os em uma realidade permanente...

domingo, 18 de janeiro de 2009

Piadas do Joãzinho 2


A mãe de Joãozinho volta à casa da clínica onde teve gêmeos e é recebida por Joãozinho:
- Mamãe, mamãe! Eu contei para a professora que tive um irmãozinho e ela me liberou das últimas três horas de aula!
- E por que você não contou que eram dois irmãozinhos? - perguntou a mãe.
- Eu não sou trouxa, mãe! O outro irmãozinho eu reservei pra semana que vem!

Mais uma piada do Joãozinho:

Ele chega da escola e vai direto à geladeira pegar um sorvete. Sua mãe entra na cozinha e dá uma bronca:
- Nada disso, Joãozinho. Isso não é hora de tomar sorvete. Está quase hora do almoço. Vá lá fora brincar.
- Mas, mamãe, não tem ninguém para brincar comigo!
A mãe não entra no jogo dele e diz:
- Tá bom, então eu vou brincar com você. Do que é que nós vamos brincar?
- Quero brincar de papai-e-mamãe.
Tentando não mostrar surpresa ela responde:
- Tá certo. O que é que eu devo fazer?
- Vá para seu quarto e deite-se.
Pensando que vai ser bem fácil controlar a situação, a mãe sobe as escadas.
Joãozinho vai até o quartinho e pega um velho chapéu do pai. Ele encontra um toco de cigarro num cinzeiro e o coloca no canto da boca. E sobe as escadas e vai até o quarto da mãe.
A mãe levanta a cabeça e pergunta:
- E o que eu faço agora?
Com um jeito autoritário, Joãozinho diz:
- Desça e dê sorvete ao garoto!

Joãozinho chega para a professora e pergunta:

- Professora, alguém pode ser culpado por alguma coisa que não fez?

- Mas é claro que não, Joãozinho!

- Ufa! Eu não fiz o dever de casa.


A professora chega na sala e pergunta :

-Pedrinho, me fale um verbo…

Pedrinho responde:

-Bicicreta!

E a professora decepcionada diz:

Não, Pedrinho, biciCLEta não é verbo.

-Agora é você,Mariazinha, me diga um verbo?

E Mariazinha, eufórica, responde:

-Essa é fácil! Prástico!

A professora:

-Não, errado!

- Bom, agora é você, Joãozinho, me diga um verbo…

-Eu sei, eu sei… Hospedar!

-Corretissimo, agora forma uma frase com esse verbo!

- Hospedar da bicicreta são de prástico!

Chocolate, eu quero chocolate...


Os astecas faziam com as favas de cacau um líquido escuro chamado tchocolatl. Ficou conhecido quando, em 1502, a esquadra de Colombo chegou à ilha de Guanaja, habitada por astecas. O cacau e seus derivados, considerados "alimentos dos deuses", eram utilizados em rituais religiosos.

Ao adicionar a essência de leite, os jesuítas tornaram o chocolate mais refinado, parecido com o que conhecemos atualmente. No século XIX, era considerado um produto bastante sofisticado, embora o rei Luis XIV, da França, considerasse seu sabor "pobre".

Na época, alguns médicos o consideravam como sendo mais nutritivo que a carne bovina e a de carneiro.

Chocolate pode fazer parte da alimentação saudável

Considerado o grande inimigo das dietas, o chocolate continua liderando o ranking dos alimentos mais desejados por crianças e adultos. Seja porque alivia estresse e ansiedade, supre "carência emocional", repõe energia ou simplesmente porque é um ingrediente universal - seu sabor agrada os paladares nas mais diversas culturas gastronômicas do mundo. Razões não faltam para que "chocólatras" justifiquem o vício e, em casos extremos, acabem substituindo as refeições por uma caixa de bombons.

Vilão ou mocinho, tudo depende do bom senso de quem o consome. Os nutricionistas são unânimes ao destacar as propriedades nutritivas do chocolate, mas sempre com a ressalva de que o excesso pode pôr fim à mais rígida dieta alimentar, aumentando os riscos de doenças cardiovasculares e de outros males provocados pela obesidade.

A boa notícia é que o chocolate possui vitaminas A, B, C, D e os minerais potássio, sódio, ferro e flúor. Além disso, pode aumentar o nível do hormônio responsável pela sensação de bem-estar, a serotonina, tornando-se eficaz no combate à depressão e à ansiedade.

Outra substância "positiva" encontrada no chocolate é a feniletilamina, também conhecida como "hormônio da paixão". Cientistas explicam que, quando estamos apaixonados, aumenta a produção de feniletilamina pelo organismo. Por isso, quando algumas pessoas passam por um processo de desilusão amorosa, muitos recorrem ao chocolate numa tentativa inconsciente de "compensar" a quantidade desse hormônio.

A nutricionista Marília Fernandes, da Unifesp, defende o consumo do chocolate, principalmente o amargo. Segundo ela, o chocolate amargo, feito do cacau puro e sem a adição das gorduras do leite, contém alto teor de flavonóides, antioxidantes que reduzem os riscos das doenças cardiovasculares. Além disso, o cacau contém uma quantidade considerável de ácido oléico, o mesmo no azeite de oliva. "As gorduras monoinsaturadas são "gorduras do bem" e devem representar cerca de 10% do valor calórico total da alimentação diária. Elas protegem as artérias, elevam o bom colesterol (HDL) e diminuem o colesterol ruim (LDL)".

Mas aqueles que não conseguem passar um só dia sem comer chocolate devem ficar atentos. Marília Fernandes alerta que todos esses benefícios funcionais do chocolate amargo não se aplicam ao tradicional e ao branco, devido às gorduras saturadas do leite que são acrescentadas no processo de fabricação. "É o mesmo que usar azeite de oliva na preparação de um cardápio fast food, rica em gorduras saturadas".

Por isso, é preciso tomar alguns cuidados para que as propriedades nutritivas do chocolate não se transformem em inimigas. Um desses cuidados está em saber escolher o melhor chocolate. Para Anita Sachs, nutricionista do departamento de medicina preventiva da Unifesp, a qualidade do produto faz muita diferença. Isso porque, para diminuir os custos de produção, muitos fabricantes adicionam mais gordura hidrogenada.

Comer chocolate sim, mas com moderação. Esse também é o principal conselho da nutricionista Sônia Trecco, responsável pela divisão de dietética do Hospital das Clínicas da USP. "Muitas pessoas tornam-se compulsivas. Por isso sugiro que os "chocólatras" tentem conter a ansiedade também com exercícios físicos, que podem diminuir a necessidade do chocolate".

Mitos e verdades sobre o chocolate:


Chocolate dá espinhas

Mito. Não há nenhum estudo científico que comprove a ligação direta do chocolate com a acne. O mesmo vale para a celulite. São problemas relacionados a questões hormonais e a fatores genéticos.


Chocolate é energético
Verdade. Composto em grande parte por açúcar e gorduras, o chocolate tem alta densidade energética. Na pirâmide dos alimentos, o chocolate fica no topo, no grupo dos energéticos extras. E, exatamente por isso, deve ser consumido com moderação.

Chocolate supre "carência emocional"
Verdade. Muitas vezes, a busca pelo chocolate retrata uma deficiência de magnésio, mineral que participa da produção dos neurotransmissores que regulam o humor, a alegria e a satisfação. O chocolate contém ainda metilxantinas, substâncias psicoativas que atuam como estimuladores do sistema nervoso central e induzem um bem-estar emocional e proporcionam sensação de prazer.


Chocolate vicia

Polêmico. A nutricionista Sônia Trecco afirma que não há nenhuma substância presente no chocolate que provoque diretamente o vício. Para ela, o que faz a pessoa comer sem parar é a satisfação pessoal que o alimento causa. Já para Marília Fernandes, também nutricionista, a mistura de gordura, açúcar, aroma e textura oferece ao chocolate características sensoriais únicas, desencadeando o "craving" (mecanismo semelhante ao vício).

(Fonte: Folha de São Paulo)

Curiosidades engraçadas

Numa manhã de chuva, daquelas que me impossibilitam para atividades rotineiras, resolvi dar uma "viajada" pelo mundo internético. Rodei, rodei em busca de algo interessante. EUREKA! Achei curiosidades e, ainda por cima, engraçadas. Convido vocês a rirem comigo:

Se vocês ficarem gritando por 8 anos, 7 meses e 5 dias, terão produzido energia sonora suficiente para aquecer um xícara de café. (Ufa! Não vale a pena tanto esforço!)

O coração humano produz pressão suficiente para jorrar sangue para fora do corpo a uma distância de 10 metros. (Meu Deus! E eu que me apavoro quando corto um dedo!)

Se vocês flatularem (traduzindo: peidarem) durante 6 anos e 9 meses, terão produzido gás suficiente para criar a energia de uma bomba atômica. (Isso sim é que é produção! Inutil....)

O orgasmo de um porco dura 30 minutos. (Ah! Como eu queria que o meu marido tivesse um orgasmo assssssim!)

Uma barata pode sobreviver 9 dias sem a cabeça. A desgraçada morre é de fome! (Ainda não consegui esquecer o porco!)

Se vocês ficarem batendo a cabeça na parede sem parar, vão gastar, em média, 150 calorias diárias. (Se fosse 1 kg por minuto, até que eu batia a cacholinha...Vai que ela pifa!)

O louva-deus macho não pode copular enquanto a cabeça estiver conectada ao corpo. A "espertinha" da louva-deus, (Psiu! Louva-deus não tem feminino, disse a louva-deus para fazer gracinha!), inicia o ato sexual, arrancando-lhe a cabeça. (Imaginem o diálogo: "Querida, você me faz perder a cabe.....")

A pulga pode pular até 350 vezes o comprimento de seu corpo. É como se um homem pulasse a distância de um campo de futebol.
( Trinta minutos...O porco não me sai da cabeça!)

O bagre tem mais de 27 papilas gustativas. (Já imaginaram um marido com a potência do porco e as papilas do bagre?)

Alguns leões se acasalam até 50 vezes ao dia. (Meus Deus! O porco... e agora esses leões copuladores... Mas ainda pefiro um marido metido a porco... 50 vezes? Ufa! É demais para mim, prefiro qualidade a quantidade!)

As borboletas sentem o gosto pelos pés. (Isso eu sempre quis sentir. O porco...)

O músculo mais forte do corpo é a língua. (Querm não gostaria de ter um marido com a potência do porco e com uma língua bem grande...)

Pessoas destras vivem , em média, 9 anos mais do que as canhotas. (E as ambidestras?)

Os elefantes são os únicos animais que não coseguem pular. (E se eles dessem os seus pulinhos e tivessem o potencial do porco?)

A urina dos gatos brilha quando exposta à luz negra. (Quem faz esse tipo de pesquisa não tem mais o que fazer?)

O olho do avestruz é maior do que o cérebro dele. (E do meu, por estar digitando essas bobagens! Quá! Quá! Quá!)

Estrelas-do-mar não têm cérebro. (Conheço muita gente assim!)

Ursos polares são canhotos. (Só vou continuar essa brincadeira, porque estou me divertindo por saber que existem pessoas tão idiotas que pesquisam isso e outras que continuam lendo...)

Seres humanos e golfinhos são os únicos seres vivos que fazem sexo por prazer. (E aquele porco? Quanto ato mecânico jogado fora! Por que não sobrou para o homem essa potência toda?)

Sabiam que o leão é o único ser vivo que não sobe em árvore? (Já imaginaram um leão "trepador" como o porco?)


Agora que vocês já deram alguma risadinha, é hora de mandarem esses fatos malucos para outras pessoas mais idiotas do que nós ou seja, mandem para todo o mundo....

Desculpem as brincadeiras... Foi só para testar a curiosidade e o senso crítico de vocês...

UM ÓTIMO DOMINGO!

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

A arte de ser avó

Netos são como heranças: você os ganha sem merecer. Sem ter feito nada para isso, de repente lhe caem do céu. É, como dizem os ingleses, um ato de Deus. Sem se passarem as penas do amor, sem os compromissos do matrimônio, sem as dores da maternidade. E não se trata de um filho apenas suposto, como o filho adotado: o neto é realmente o sangue do seu sangue, filho de filho, mais filho que o filho mesmo...

Cinquenta anos, cinquenta e cinco... Você sente, obscuramente, nos seus ossos, que o tempo passou mais depressa do que esperava. Não lhe incomoda envelhecer, é claro. A velhice tem as suas alegrias, as suas compensações — todos dizem isto embora você pessoalmente, ainda não as tenha descoberto — mas acredita.

Todavia, também obscuramente, também sentida nos seus ossos, às vezes lhe dá aquela nostalgia da mocidade. Não de amores nem de paixões: a doçura da meia-idade não lhe exige essas efervescências. A saudade é de alguma coisa que você tinha e lhe fugiu sutilmente junto com a mocidade. Bracinhos de criança no seu pescoço. Choro de criança. O tumulto da presença infantil ao seu redor. Meus Deus, para onde foram as suas crianças? Naqueles adultos que hoje são seus filhos, que têm sogro e sogra, cônjuge, emprego, apartamento a prestações, você não encontra de modo nenhum as suas crianças perdidas. São homens e mulheres - não são mais aquelas crianças que você recorda.
E então um belo dia, sem que lhe fosse imposta nenhuma das agonias da gestação ou do parto, o doutor lhe põe nos braços um menino. Completamente grátis — aquela criancinha da sua raça, da qual você morria de saudades, símbolo ou penhor da mocidade perdida. Pois aquela criancinha, longe de ser um estranho, é um menino que lhe é "devolvido". E o espantoso é que todos lhe reconhecem o seu direito de o amar com extravagância; ao contrário causaria escândalo e decepção se você não o acolhesse imediatamente com todo aquele amor recalcado que há anos se acumulava, desdenhado, no seu coração.

Sim, tenho certeza que a vida nos dá os netos para nos compensar de todas as mutilações trazidas pela velhice. São amores novos, profundos e felizes que vêm ocupar aquele lugar vazio, nostálgico, deixado pelos arroubos juvenis. Aliás, desconfio muito de que os netos são melhores que namorados, pois que as violências da mocidade produzem mais lágrimas do que enlevos.

No entanto — no entanto! — nem tudo são flores no caminho da avó. Há, acima de tudo, a rival: a mãe. Não importa que ela seja sua filha. Não deixa por isso de ser mãe do seu neto. Não importa que ela ensine o menino a lhe dar beijos e a lhe chamar de "vovozinha", e lhe conte que de noite, às vezes, ele de repente acorda e pergunta por você. São lisonjas, nada mais.

Rigorosamente, nas suas posições respectivas, a mãe e a avó representam, em relação ao neto, papéis muito semelhantes ao da esposa e da amante dos triângulos conjugais.

A mãe tem todas as vantagens da domesticidade e da presença constante. Dorme com ele, dá-lhe de comer, dá-lhe banho, veste-o. Embala-o de noite. Contra si tem a fadiga da rotina, a obrigação de educar e o ônus de castigar.

Já a avô, não tem direitos legais, mas oferece a sedução do romance e do imprevisto.
Mora em outra casa. Traz presentes. Faz coisas não programadas. Leva a passear, "não ralha nunca". Deixa lambuzar de pirulitos. Não tem a menor pretensão pedagógica. É a confidente das horas de ressentimento, o último recurso nos momentos de opressão, a secreta aliada nas crises de rebeldia.

Uma noite passada em sua casa é uma deliciosa fuga à rotina, tem todos os encantos de uma aventura. Lá não há linha divisória entre o proibido e o permitido. Dormir sem lavar as mãos, recusar a sopa e comer croquetes, tomar café — café! — mexer no armário da louça, fazer trem com as cadeiras da sala, destruir revistas, derramar a água do gato, acender e apagar a luz elétrica mil vezes se quiser e até fingir que está discando o telefone.

Riscar a parede com o lápis dizendo que foi sem querer — e ser acreditado! Fazer má-criação aos gritos e, em vez de apanhar, ir para os braços da avó e de lá escutar os debates sobre os perigos e os erros da educação moderna.

Sabe-se que, no reino dos céus, o cristão desfruta os mais requintados prazeres da alma. Porém esses prazeres não estarão muito acima da alegria de sair de mãos dadas com o seu neto, numa manhã de sol. E olhe que aqui embaixo você ainda tem o direito de sentir orgulho, que aos bem-aventurados será defeso. Meu Deus, o olhar das outras avós, com os seus filhotes magricelas ou obesos, a morrerem de inveja do seu maravilhoso neto.

E quando você vai embalar o menino e ele, tonto de sono, abre um olho, lhe reconhece, sorri e diz: "Vó!", seu coração estala de felicidade, como pão ao forno.

E o misterioso entendimento que há entre avó e neto, na hora em que a mãe o castiga, e ele olha para você, sabendo que, se você não ousa intervir abertamente, pelo menos lhe dá sua incondicional cumplicidade e apoio... Além é claro das compensações....

Até as coisas negativas se viram em alegrias quando se intrometem entre avó e neto: o bibelô de estimação que se quebrou porque o menininho — involuntariamente! — bateu com a bola nele. Está quebrado e remendado, mas enriquecido com preciosas recordações: os cacos na mãozinha, os olhos arregalados, o beiço pronto para o choro; e depois, o sorriso malandro e aliviado porque "ninguém" se zangou, o culpado foi a bola mesma, não foi, Vó?

Era um simples boneco que custou caro. Hoje é relíquia: não tem dinheiro que pague.

Texto de Raquel de Queiroz

P.S.: É assim que eu também me sinto, Daniella! Isso que o meu netinho ou netinha ainda não nasceu...

Sei da experiência MARAVILHOSA pelo meu primeiro neto: o ANDREI, garoto de OURO! Nasceu quando eu ainda era jovem e lhe proporcionava lindas cavalgadas (em minhas costas!) Doce sabor da juventude. Hoje...